sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

É tempo de romper limites e avançar!


Josué 18.1 a 10: “Reuniu-se toda a congregação dos filhos de Israel em Siló, e ali armaram a tenda da congregação; e a terra estava sujeita diante deles. Dentre os filhos de Israel ficaram sete tribos que ainda não tinham repartido a sua herança. Disse Josué aos filhos de Israel: Até quando sereis remissos em passardes para possuir a terra que o SENHOR, Deus de vossos pais, vos deu? De cada tribo escolhei três homens, para que eu os envie, eles se disponham, e corram a terra, e façam dela um gráfico relativamente à herança das tribos, e se tornem a mim.

Dividirão a terra em sete partes: Judá ficará no seu território, ao sul, e a casa de José, no seu, ao norte. Em sete partes fareis o gráfico da terra e mo trareis a mim, para que eu aqui vos lance as sortes perante o SENHOR, nosso Deus. Porquanto os levitas não têm parte entre vós, pois o sacerdócio do SENHOR é a sua parte. Gade, e Rúben, e a meia tribo de Manassés já haviam recebido a sua herança dalém do Jordão, para o oriente, a qual lhes deu Moisés, servo do SENHOR.

Dispuseram-se, pois, aqueles homens e se foram, e Josué deu ordem aos que iam levantar o gráfico da terra, dizendo: Ide, correi a terra, levantai-lhe o gráfico e tornai a mim; aqui vos lançarei as sortes perante o SENHOR, em Siló. Foram, pois, os homens, passaram pela terra, levantaram dela o gráfico, cidade por cidade, em sete partes, num livro, e voltaram a Josué, ao arraial em Siló. Então, Josué lhes lançou as sortes em Siló, perante o SENHOR; e ali repartiu Josué a terra, segundo as suas divisões, aos filhos de Israel.”

Josué, ao ver o povo de Israel trabalhando e ocupando espaços na Terra Prometida, percebeu que havia determinadas tribos acomodadas e desinteressadas.

Ele, então, os exorta e os encoraja! Naquele contexto, Calebe se tornou um grande exemplo de conquista, porque, mesmo com a idade avançada, manteve-se motivado, porque Ele sabia que Deus tinha muito mais!

Assim como Calebe, nós precisamos:

1- Demarcar graficamente a área que desejamos ocupar e estaqueá-la

Josué 18.8: “Dispuseram-se, pois, aqueles homens e se foram, e Josué deu ordem aos que iam levantar o gráfico da terra, dizendo: Ide, correi a terra, levantai-lhe o gráfico e tornai a mim; aqui vos lançarei as sortes perante o SENHOR, em Siló.”

Efésios 3.20: “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós...”

Precisamos transpor a barreira da acomodação!

2- Lutar contra as limitações interiores!  

Números 13.33: “Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos.”

Precisamos quebrar a aliança com o fracasso!

Sofonias 3.15: “O SENHOR afastou as sentenças que eram contra ti e lançou fora o teu inimigo. O Rei de Israel, o SENHOR, está no meio de ti; tu já não verás mal algum.”

Não podemos ter medo de ser alguém, porque o Senhor nos capacita!

Provérbios 23.7: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é; ele te diz: Come e bebe; mas o seu coração não está contigo.”

3- Despertar o espírito de conquista e avançar!  

Números 13.20: “Então, Calebe fez calar o povo perante Moisés e disse: Eia! Subamos e possuamos a terra, porque, certamente, prevaleceremos contra ela.”

Precisamos ter o desejo de evoluir, sair definitivamente do deserto e deixar de ter uma mente escrava!

2 Coríntios 9.11: “... enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus.”

Todo o processo de conquista começa no mundo espiritual. Assim, colocamo-nos debaixo dos propósitos e das promessas superiores do Senhor.

Hebreus 12.24: “... e a Jesus, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão que fala coisas superiores ao que fala o próprio Abel.”


O tempo é agora! Avance e conquiste, porque Deus tem muito mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.